Conversa entre dois homens sobre: Casamento

Publicado: 22 fevereiro, 2010 em Uncategorized

Conversa entre dois homens sobre: Casamento
R.L.Warken

– Sabe! Eu tava assistindo a TV. De repente a apresentadora conta a história de um ex-marido que tentou matar sua "ex-mulher". Daí eu fiquei encucado, ta sabendo: Caramba! É ex-mulher? Ela não é mais mulher? Ou, é ex-esposa"?

– E, daí?

– E, nas igrejas os caras dizem: "Eu vos declaro marido e mulher."!!!

– Peraí! É marido e mulher ou marido e esposa?"

– Daí eu pensei que no dia-a-dia não é difícil a gente encontra caras que dizem, "ah…essa é minha mulher"! Então, ela pode dizer: "Este é meu homem."

– Mas, assim soa vulgar!!! (diz alguém).

– Vulgar???? Vulgar

– É vulgar. Imagina uma mulher dizendo isso!?

– E o que é que tem? Ele se refere a ela como minha mulher!

– Mas, isso pode!

– Pode?

– Pode.

– Porque?

– Ahhhh sei lá porque, de repente porque a pessoa que fez o casamento disse isso.

– Mas isso é resquício do machismo, do tradicionalismo, do…

– Não não é não!

– Não?

– Não!

– Porque?

– Pô, a minha patroa eu trato de minha mulher e ela nunca se ofendeu, é natural… sei lá é normal.

– Patrôa?

– É uma forma carinhosa! Tipo assim para dizer que ela manda em mim.

– Cara, que coisa esquisita?

– O que?

– É que o meu advogado estava me dizendo que no judiciário usam : "os cônjuges."

– Cônjuges?

– É…cônjuges!

– Você quer me dizer que eu posso dizer que eu e minha mulher somos casal e cônjuges?

– Pode!

– Peraí, deixa eu ver na Internet:

Termo genérico para marido ou esposa

– Tem mais.

– Mais?

– Lê isso:

Casamento, casório ou matrimônio/matrimónio é o vínculo estabelecido entre duas pessoas, mediante o reconhecimento governamental, religioso ou social e que pressupõe uma relação interpessoal de intimidade, cuja representação arquetípica são as relações sexuais, embora possa ser visto por muitos como um contrato.

Na maior parte das sociedades, só é reconhecido o casamento entre um homem e uma mulher. Em alguns países (em Maio de 2009, a Holanda, a África do Sul, o Canadá, a Noruega, a Bélgica, a Espanha, a Suécia, Portugal), estados federados (oMassachusetts, o Connecticut, o Iowa, o Vermont e o Maine) e confissões religiosas (protestantes), é também plenamente reconhecido o casamento entre duas pessoas do mesmo sexo.

Embora o casamento seja tipicamente entre duas pessoas, muitas sociedades admitem que o mesmo homem (ou, mais raramente, a mesma mulher) esteja casado com várias mulheres (ou homens, respectivamente). Embora muito raros, há algumas situações de sociedades em que mais que duas pessoas se casam umas com as outras num grupo coeso.

As pessoas casam-se por várias razões, mas normalmente fazem-no para dar visibilidade à sua relação afetiva, para buscar estabilidade econômica e social, para formar família, procriar e educar seus filhos, legitimar o relacionamento sexual ou para obter direitos como nacionalidade.

Um casamento é frequentemente iniciado pela celebração de uma boda, que pode ser oficiada por um ministro religioso (padre, rabino, pastor etc.), por um oficial do registro civil(normalmente juiz de casamentos) ou por um indivíduo que goza da confiança das duas pessoas que pretendem unir-se.

– E, tem mais!!

– Mais ainda?

– É! Cara eu tô ficando perdido . Olha só:

A palavra casamento é derivada de "casa", enquanto que matrimonio tem origem no radical mater ("mãe") seguindo o mesmo modelo lexical de "patrimônio". Também pode ser do latim medieval casamentu: Ato solene de união entre duas pessoas de sexo diferente, capazes e habilitadas, com legitimação religiosa e/ou civil.

– Só entre sexo diferente, isso eu já sabia.

– É mas, minha patroa vai me bater depois desse assunto que você puxou.

– Porque?

– Porque tem mais. Ela vai dizer que eu que eu to doido.

– O que diz a Internet?

A sociedade cria diversas expressões para classificar os diversos tipos de relações matrimoniais existentes. As mais comuns são:

  • casamento aberto (ou liberal) – em que é permitido aos cônjuges ter outros parceiros sexuais por consentimento mútuo
  • casamento branco ou celibatário – sem relações sexuais
  • casamento arranjado – celebrado antes do envolvimento afetivo dos contraentes e normalmente combinado por terceiros (pais, irmãos, chefe doclã etc.)
  • casamento civil – celebrado sob os princípios da legislação vigente em determinado Estado (nacional ou subnacional)
  • casamento misto – entre pessoas de distinta origem (racial, religiosa, étnica etc.)
  • casamento morganático – entre duas pessoas de estratos sociais diferentes no qual o cônjuge de posição considerada inferior não recebe os direitos normalmente atribuídos por lei (exemplo: entre um membro de uma casa real e uma mulher da baixa nobreza)
  • casamento nuncupativo – realizado oralmente e sem as formalidades de praxe
  • casamento putativo – contraído de boa-fé mas passível de anulação por motivos legais
  • casamento religioso – celebrado perante uma autoridade religiosa
  • casamento poligâmico – realizado entre um homem e várias mulheres (o termo também é usado coloquialmente para qualquer situação de união entre múltiplas pessoas)
  • casamento poliândrico – realizado entre uma mulher e vários homens, ocorre em certas partes do himalaia.
  • casamento homossexual ou casamento gay – realizado entre duas pessoas do mesmo sexo.
  • casamento de conveniência – que é realizado primariamente por motivos económicos ou sociais

– Hummm, então eu sei qual é o seu tipo de casamento.

– Êpa, pera lá:

– Sério: o seu casamento é religioso e civil. São tipo pasta de dente, vem dois em um entende?

– Então eu vivo um casamento, um relacionamento, um contrato, um acordo, um matrimônio???

– É, né?

– Eu acho que é?

– Não é?

– Cara mas ela é tua esposa ou tua mulher?

– As duas coisas.

– Não pode?

– Não.

– E………companheira?

– Companheira pode. Mas nem toda companheira é esposa.

– Não?

– Não, pode ser sua amante, namorada, seu caso, concubina.

– Cocumbina?

– Não seu traste: CONCUBINA.

– O que é isso? É a amante?

– Não!

– São duas coisas iguais, não são?

– Não!

– Tá! Me explica.

– A cocubina é como se fosse a esposa, mas sem casamento, entendeu?

– Agora você falou COCUBINA.

– Eu errei. CON-CU-BI-NA.

– Ahhh, tá e a amante….

– Amante é aquilo que você é com as outras mulheres que tu saí, só prá transar! Entendeu?

– Amante é a pessoa com quem apenas eu transo e concubina a que eu tenho uma relação de boca.

– ISSO!

– E, como é que eu devo tratar minha…

– Esposa?

– Isso. Procura tratar pelo nome, né cara!? Afinal de contas, chamar ela de minha mulher é tão vulgar.

– É? Agora parece mesmo. Não é?

– É! Eu acho.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s