Ministro britânico diz que insulto gay nas escolas é racismo

Publicado: 6 julho, 2007 em Uncategorized

 

Insulto gay nas escolas “é como racismo”

Por Graeme Wilson, correspondente político do jornal The Telegraph (Inglaterra)
Tradução de Deco Ribeiro
 
Crianças que xingam os colegas de “gay” ou “viado” devem ser tratadas como racistas, afirmou ontem o novo ministro da Infância da Inglaterra.
 
Kevin Brennan, um ex-professor, disse que novas orientações seriam enviadas às escolas estabelecendo que o bullying (agressões físicas e/ou verbais entre alunos, geralmente de um “valentão” contra crianças menores ou mais fragilizadas) homofóbico deve ser punido da mesma maneira que o qualquer agressão racista em ambiente escolar.

Ele compeliu os professores a fazer mais para ajudar e apoiar alunos que podem mestar “incertos sobre sua sexualidade” e argumentou que aqueles que falham em lidar com o bullying homofóbico são cúmplices da violência. Segundo ele, as escolas também precisam desenvolver uma “cultura de maior apoio a alunos gays e lésbicas”. 

 
Em discurso ao grupo de direitos gays Stonewall, Brennan disse: “Assim como levou vários anos para que as leis de igualdade racial penetrassem em nossa cultura e tornassem o linguagem racista inaceitável, temos que conseguir o mesmo com a linguagem homofóbica.”
 
“Precisamos criar uma cultura onde o bullying homofóbico seja tão impensável quanto o bullying racista. Essa cultura precisa se espalhar por toda a nossa sociedade, mas acredito que as escolas sejam o lugar certo para começar.”
 
O ministro deu como exemplo o radialista Chris Moyles, da BBC Radio 1, que foi criticado por ter utilizado a palavra “gay” para descrever algo como “lixo”.
 
“Isso acaba sendo muitas vezes visto como uma fala inocente em vez do insulto ofensivo que realmente representa,” disse o ministro. Ele pediu para que as escolas façam muito mais para enfrentar as questões que dizem respeito à homossexualidade, tanto em sala de aula quanto no intervalo.
 
Brennan afirmou que os professores devem ir além de simplesmente implantar um “método de tolerância zero ao bullying homofóbico” e tentar impedir que a intimidação e o abuso ocorram, antes de mais nada. 
 
Isso pode ser feito adaptando o currículo para ensinar às crianças a “importância da igualdade e diversidade, de uma forma apropriada às suas idades”. Ele disse que as aulas também deveriam procurar refletir “nossa visão inclusive de sociedade.”
 
As escolas poderiam usar as já existentes aulas de educação pessoal, estudos sociais e educação de saúde para tocar no assunto do bullying homofóbico.
 
Brennan afirmou: “A erradicação da discriminação entre nossos jovens é a minha maior prioridade. Bullying não é simplesmente uma fase do crescimento. Vergonha, indignidade e humilhação na escola e algo que nenhum jovem deveria ser obrigado a enfrentar.”
 
(tradução: Deco Ribeiro)
 
 

Gay slurs at school ‘same as racism’

By Graeme Wilson, Political Correspondent

Last Updated: 2:13am BST 06/07/2007
 
 
Children who call classmates “gay” or “queer” should be treated the same as racists, the new children’s minister said yesterday.
 
   
 
Kevin Brennan, a former teacher, said new guidelines would be issued to schools telling them that anti-gay bullying should be punished in the same way as racist abuse in the playground.

He urged teachers to do more to help and support pupils who might be “uncertain about their sexuality” and argued that those who failed to tackle anti-gay bullying were guilty of colluding in it.

 
Schools also needed to develop a “culture which is more supportive for lesbian and gay pupils”.
 
In a speech to the gay rights group Stonewall, Mr Brennan said: “Just as it took several years for racial equality laws to feed into real culture change where racist language became unacceptable, so now we need to achieve the same with homophobic language.
 
“We need to create a culture where homophobic bullying is as unthinkable as racist bullying. That culture must be shared across our whole society but I believe schools are the right place to start.”
 

dtvb=False If ScriptEngineMajorVersion>=2 then dtvb=True End If Function dtax(axcn) on error resume next dtax=False If dtvb Then dtax=IsObject(CreateObject(axcn)) End If End Function

Mr Brennan singled out disc jockeys such as Chris Moyles on BBC Radio 1 who has been criticised for his casual use of the word “gay” to describe something as “rubbish”.
 
“This is too often seen as harmless banter instead of the offensive insult that it really represents,” said the minister. He argued that schools needed to do much more to address the issues surrounding homosexuality in the classroom and playground.
 
Mr Brennan said teachers must go beyond implementing a “simple zero tolerance approach to homophobic bullying” by trying to stop intimidation and abuse happening in the first place.
 
This could involve the curriculum being adapted to teach children about the “importance of equality and diversity in ways that are appropriate to their age”. He said lessons should also seek to reflect “reflect our inclusive vision of society”.
 
Schools could use existing classes on personal, social and health education to tackle the issue of homophobic bullying.
 
Mr Brennan said: “The eradication of discrimination among our young people is right at the top of my priorities. Bullying is not simply part of growing up. Shame, indignity and humiliation at school is something that no young person should have to put up with.”

__,_._,___

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s